Trechos...parte 2


(...)
Quando viva, minha vida era suspensa e gratuita. E eu não sabia! Estava nela o meu segredo, o sinal, a explicação, o nexo, e a mistura - sim, a composição metafísica de ser e de não-ser de onde eu nascia continuamente.(...)
Doravante eu era adulto, irremediavelmente adulto, sem nenhum nexo, a não ser os livros, as estampas, as estátuas, sem nenhum nexo com o mundo em que eu não era. Aferrei-me à convicção de que havia no universo uma absoluta necessidade de que eu fosse. Assim, calava-se a minha angústia, e eu me instalava, deus solitário e melancólico, no centro de um inverso feito para mim.
Volta-me hoje, porém, à medida que se aproxima o outro nada tenebroso, o mesmo sentimento infantil de dependência total. Mais do que nunca, sinto-me suspenso. Entre um acaso criador e um acaso destruidor. Entre um nascimento incompreensível e uma morte incompreensível. Solto. Desamparado. Ontem caio por acaso num regaço que se abre; amanhã numa pedra que se fecha.
E o pensamento que me tortura é o da minha esterilidade.


Trechos do livro Lições de Abismo - Gustavo Corção
Postar um comentário

Horizontes

Pai não adianta as botas Se tiraste minhas pernas Num mundo de cotas Transformo-me em percentual Meus sonhos...