Amor Recondicionado



















O teu brilho que até ontem se perdera
de fulgor e glória está de volta
O teu riso que não houvera
Hoje anda, e perfuma à solta


O teu corpo sacia meus olhos
da sede que resseca
minha boca seca
Fiquei muito tempo
te esperando
me consumindo
quase sumindo
vendo o tempo findo
pois a vida acabara
e eu te esperando


Mas como um cão fiel
O corpo espera seu dono
Passa verões e outonos
Já estou sentindo sono
Mas só irei se for pro céu


Então como despertar do inesperado
Vejo meu coração alimentado pela matéria
E o coração recondicionado
bombeia sangue renovado
por veias e artérias.


Henrique Rodrigues Soares - Sociedade dos Eremitas
Postar um comentário

Coqueiral

A saudade é um batimento que rebenta assim vinte e oito vezes desde meu ombro tatuado de desastre até à rosa pendur...