Meditações Urbanas


















no vaivém oprimido
no morrer do remanso
vidros de comprimidos
compensando o descanso


como é pequeno apartamento
os sonhos inúteis
um corpo de enchimento
para horas fúteis


caras amarrotadas
olhos armados
roupas engomadas
trânsito cansado


beleza se compra
felicidade se encena
o amor está em cartaz
em qualquer cinema


II
os calos se apertam
as paredes não protegem
os medos cercam
os tiros sucedem


comida de conserva
literatura fantástica
televisão para conversa
plantas antipáticas


um amante impotente
uma comida fria
uma conta corrente
de fonte vazia


liberdade contida
linguagem obscura
nicotina e bebida
citadina ternura.


Henrique Rodrigues Soares - O que é a Verdade? - 30/05/1998
Postar um comentário

Soneto XIX

Tempo voraz, corta as garras do leão, E faze a terra devorar sua doce prole; Arranca os dent...