Mulher























Mulher que mata e que dar vida
o remédio ao mesmo tempo ferida
teus beijos são um laço
em que homem pobre fracasso


deleita sua essência sua alma
o teu lábio suave gosto de carne
teu andar solto livre e cheio de charme
é desprevenido cheio de calma


sabes olhos atentos te vigiam
não como donos mas como escravos
da tua beleza são iluminados
e os seus desejos em ti se criam


mulher! algumas puras recatas
outras liberais cultas
diamante de disputa
dos homens dominador


Henrique Rodrigues Soares - Romaria Lírica
Postar um comentário

Idade

Mente o tempo: a idade que tenho só se mede por infinitos. Pois eu não vivo por extenso. Apenas...