Fábrica

















Nosso dia vai chegar,
Teremos nossa vez,
Não é pedir demais:
Quero justiça,
Quero trabalhar em paz.
Não é muito o que lhe peço -
Eu quero trabalho honesto
Em vez de escravidão.


Deve haver algum lugar
Onde o mais forte
Não consegue escravizar
Quem não tem chance.


De onde vem a indiferença
Temperada a ferro e fogo ?
Quem guarda os portões da fábrica ?


O céu já foi azul, mas agora é cinza
E o que era verde aqui já não existe mais.
Quem me dera acreditar
Que não acontece nada de tanto brincar com fogo.


Que venha o fogo então
Esse ar deixou minha vista cansada,
Nada demais.


Renato Russo
Postar um comentário

Satélite

Fim de tarde. No céu plúmbeo A Lua baça Paira Muito cosmograficamente Satélite. Desmetaforizada, Desmitificada, Despojada do ...