Elegia para Cláudia



















Ah! Como eu te amo
Um amor puro sem censura,
sem carne, sem mistura,
sem posses, necessidades ou obrigações.
Te amo te querendo
sem querer para mim


Ah! Minha amiga
Nas noites em que o abismo se achega
Nas noites que minhas lágrimas
brotam nos meus olhos
A tua presença é uma luz acesa
que brilha que esquenta meus poros.


Quando este astro louco deixar
esta galáxia.
Ele levará consigo
uma lágrima, um sorriso, um carinho teu
numa longa caminhada
num doce adeus.


Henrique Rodrigues Soares - Romaria Lírica
A minha Querida amiga Cláudia.
Postar um comentário

Horizontes

Pai não adianta as botas Se tiraste minhas pernas Num mundo de cotas Transformo-me em percentual Meus sonhos...