Canção de Saudade




















Já beijei tantas bocas
nenhuma como a tua
Já amei tantos corpos
nenhum como a lua


Olhei para teus olhos
calculei os quilates
dos dentes de ouro
que deixam saudades


Já chorei tantas pernas,
tantos braços, tantos sorrisos
De alegria superna
perdi os meus cisos


Nada foi, nada será
como o teu brilho
perdido no passado
Como teu orgulho
engavetado
no armário


Olhei para tua boca
Vi teu coração pulsando
como um mendigo
esmola aguardando


Senti tua carne
tão quente, tão terna
Esperei com ansiedade
pela chegada da primavera


Nada foi, nada será
como teu andar absoluto
como teu corpo... Um vulto
que se perderá
num passado rasgado
num adeus tão ingênuo
que meu corpo calará


Já mudos e sem esperanças
Me inundarei de bonança
Esperando meu corpo... Deteriorizar.


Henrique Rodrigues Soares - Romaria Lírica
Postar um comentário

Horizontes

Pai não adianta as botas Se tiraste minhas pernas Num mundo de cotas Transformo-me em percentual Meus sonhos...