Assalto




















Ontem, vi um rosto que nunca mais quero ver
Ontem, vi um rosto que nunca mais lembrarei
Rosto imóvel... Corpo imóvel...
Uma bomba pulsante no peito, um coração na mão pronta a explodir
O coração da bomba pulsante que há dentro do peito do morto que ainda não morreu.


Vejo sinais de resistência
Vejo um corpo que não quer anoitecer
Vejo relógios, pulseiras,... se indo de tristeza
O menino apanha emprestado o que o mundo não o concedeu.


Henrique Rodrigues Soares - A Natureza das Coisas
Postar um comentário

Apelo

Porque não vens agora, que te quero E adias esta urgência? Prometes-me o futuro e eu desespero O futuro é o d...