Até mais!...


























Hoje, um daqueles dias tristes
Que não vou querer lembrar
Que não consigo esquecer


Menos de um ano foi Daniel
O Pará, o santista, o mecânico
Tão forte e invencível
Vencido pelo inimigo orgânico
que se criou dentro da própria fortaleza


Agora choro baixinho
pelo Baixinho, o Nivaldo
o que jogava bola
o que caçava passarinhos
o inventor
o mais animado


Nunca levaram vida à sério
Magoaram e alegraram
a todos que tiveram prazer de os ter conhecido
Foram inéditos, impossivéis de copiar
Contavam estórias e foram personagens
de uma estória que ficou no passado
Minha bela infância
em que não tínhamos nada
mas tínhamos tudo
Foram um capitulo do meu livro
Pois seus livros terminaram de serem escritos.


Mas deixaram em nosso meio
sua herança.


Henrique Rodrigues Soares - O que é a Verdade? - Aos meus tios Daniel e Nivaldo - 20/07/2009
Postar um comentário

O canto de um bardo

Sem sabor Mastigo o meu intimo Nestes dias escuros Sem escolhas Como um pobre arrimo Para fora dos muros...