Por sete mares

















Navega, coração, o mar da vida
e rompe com bravura esse oceano
d"angústia, que me faz vagar perdida...
E me consome o ser... Ano após ano.


Navega, coração, busca a saída
(já me cansei deste combate insano)
do mar de dor para onde fui banida...
Por tanto amar e só ter desengano.


Navega, vai além da tempestade,
navega, rompe as ondas da saudade,
que eu tenha o mar de um calmo entardecer.


Com céu de lua cheia... E a melodia
da brisa a sussurrar, em calmaria,
que, enfim, um novo amor me vai nascer!


Patricia Neme
Postar um comentário

Satélite

Fim de tarde. No céu plúmbeo A Lua baça Paira Muito cosmograficamente Satélite. Desmetaforizada, Desmitificada, Despojada do ...