O Romântico















És tão simples, ao mesmo tempo tão profundo
Escondes a tristeza do desencontro
Escondes o solitário descontentamento
Com tanto amor no peito procura quem te ama


A liberdade quer fluir em teu corpo
A vida parece ser tão limitada para teus sonhos
Você quer parar o relógio...
E o relógio continua te levando sem você querer ir


A tua procura segue pela noite,
pelas ruas, pelos becos da escuridão
As pessoas não te entendem
Elas te observam, te julgam
com seus olhos preconceituosos
com olhos burocráticos.


Henrique Rodrigues Soares - A Natureza das Coisas
Ao Amigo Poeta Silvio já falecido.
Postar um comentário

Soneto XIX

Tempo voraz, corta as garras do leão, E faze a terra devorar sua doce prole; Arranca os dent...