Riscos


















Enquanto olho no tempo a minha vida
Preservo, com saudade, na lembrança,
Irmã, os nossos tempos de criança,
Deixados na distância percorrida.


A vida toma rumos imprevistos,
Difíceis de sonhar na juventude,
Mas tem, por isso mesmo, mais virtude
Saber vivê-la bem, vencendo riscos.


Aqueles que corri, e foram tantos,
Alguns co' o coração lavado em prantos,
Por força do fervor e da vontade.


Marcaram dalgum modo o meu destino,
Distante dos meus sonhos de menino,
Mas feitos na vivência da verdade.


Vitor Cintra
Postar um comentário

Soneto XIX

Tempo voraz, corta as garras do leão, E faze a terra devorar sua doce prole; Arranca os dent...