anti-real


























escrevo mordendo-me
como o cão morde
o próprio rabo

no sexo vascular 
dos verbos na
pele-página

a linguagem
é meu abismo
onde construo

meu retrato anti-
real e aconteço



Carlos Orfeu 
Postar um comentário