Pecador contrito aos pés de Cristo crucificado



















Ofendi-vos, meu Deus, é bem verdade,
verdade é, meu Senhor, que hei delinquido,
delinquido vos tenho, e ofendido
ofendido vos tem minha maldade.


Maldade, que encaminha a vaidade,
vaidade, que todo me há vencido,
vencido quero ver-me e arrependido,
arrependido a tanta enormidade.


Arrependido estou de coração,
de coração vos busco, dai-me abraços,
abraços, que me rendem vossa luz.


Luz, que claro me mostra a salvação,
a salvação pretendo em tais abraços,
misericórdia, amor, Jesus, Jesus!


Gregório de Matos Guerra
Postar um comentário

Poética

Alguma palavra, este cavalo que me vestia como um cetro, algum vômito tardio modela o verso. Certa forma ...