Reminiscências

















Aquele que trouxe nos braços
Aquele que pagou por ter levado
Foram anos de tardes
Em que me vestir era algo
Simplesmente fantástico


E se hoje estático
Perdi para o amigo
O encanto e o abraço
Não adianta discutir fracasso
Foram anos de tardes
Que jamais voltam
Ficaram nos retratos


Único elo do tempo e o espaço
De anos e tardes
Que valeram... mas foram...
Estórias, estórias que não se apagam
Por mais que queiram
E esqueçam seu passado.



Henrique Rodrigues Soares – Horas de Silêncio

Janeiro 2015.
Postar um comentário

Coqueiral

A saudade é um batimento que rebenta assim vinte e oito vezes desde meu ombro tatuado de desastre até à rosa pendur...