Rebelião é Fênix da consciência
Lutam poetas de peles e lanças
Queimam grilhões e açoites
Submetem jugos de aços
Nas emboladas aos antepassados
Abrem celas
Furam cercos como flechas
Melam de sangue a melanina desses crimes
E o que resiste na tortura muda tua e minha
São cicatrizes de cores
Luta, brado e poesia.


Paula Beatriz Albuquerque
Postar um comentário

Coqueiral

A saudade é um batimento que rebenta assim vinte e oito vezes desde meu ombro tatuado de desastre até à rosa pendur...