Disputed


























1
petroleum is harmless, except for the trace of poverty it leaves behind 

on that day, when the faces of those who discover another oil well go dark, 
when life is blown into your heart to extract more oil off your soul 
for public use.. 
That.. is.. the promise of oil, a true promise. 

the end.. 

2
it was said: settle there..
but some of you are enemies for all 
so leave it now

look up to yourselves from the bottom of the river; 
those of you on top should provide some pity for those underneath.. 
the displaced is helpless, 
like blood that no one wants to buy in the oil market! 

3
pardon me, forgive me
for not being able to pump more tears for you
for not mumbling your name in nostalgia. 
I directed my face at the warmth of your arms 
I got no love but you, you alone, and am the first of your seekers. 

4
night, 
you are inexperienced with Time
lacking rain drops
that could wash away all the remains of your past
and liberate you of what you had called piety..
of that heart.. capable of love, 
of play, 
and of intersecting with your obscene withdrawal from that flabby religion 
from that fake Tanzeel 
from gods that had lost their pride..

5
you burp, more than you used to.. 
as the bars bless their visitors 
with recitations and seductive dancers.. 

accompanied with the DJ 
you recite your hallucinations 
and speak your praise for these bodies swinging to the verses of exile.

6
he’s got no right to walk however 
or to swing however or to cry however. 

he’s got no right to open the window of his soul,
to renew his air, his waste, and his tears.. 

you too tend to forget that you are 
a piece of bread

7
on the day of banishment, they stand naked, 
while you swim in the rusty pipes of sewage, barefoot.. 

this could be healthy for the feet
 but not for earth 

prophets have retired
so do not wait for yours to come to you

and for you, 
for you the monitors bring their daily reports
and get their high salaries.. 

how important money is
for a life of dignity

9
my grandfather stands naked everyday, 
without banishment, without divine creation.. 
I have already been resuscitated without a godly blow in my image. 
I am the experience of hell on earth..

earth
is the hell prepared for refugees. 

10
your mute blood will not speak up 
as long as you pride yourself in death
as long as you keep announcing -secretly- that you have put your soul 
at the hands of those who do not know much.. 

losing your soul will cost time, 
much longer than what it takes to calm 
your eyes that have cried tears of oil 


Ashraf Fayadh

* These poems appeared in Fayadh's poetry collection Instructions Within which was published by the Beirut-based Dar al-Farabi in 2008 and later banned from distribution in Saudi Arabia. 

Translated do arab/engliss: Mona Kareem



Disputada

1
o petróleo é inofensivo, excepto para o rastreio de pobreza que deixa para trás 

naquele dia, quando os rostos daqueles que descobrir um outro poço de petróleo vão escuro, 
quando a vida é soprado em seu coração para extrair mais petróleo fora sua alma 
para uso público .. 
Isso .. é .. a promessa de óleo, uma verdadeira promessa. 

o fim.. 

2
dizia-se: estabelecer lá ..
mas alguns de vocês são inimigos por todos 
para deixá-lo agora

olhar para si mesmos a partir do fundo do rio; 
aqueles de vocês em cima devem fornecer alguma piedade para aqueles debaixo .. 
os deslocados é impotente, 
como o sangue que ninguém quer comprar no mercado de petróleo! 

3
perdoem-me, perdoa-me
por não ser capaz de bombear mais lágrimas para você
para não murmurar seu nome na nostalgia. 
Eu dirigi o meu rosto no calor de seus braços 
Eu não tenho amor, mas você, só você, e sou o primeiro dos seus candidatos. 

4
noite, 
você é inexperiente com a Time
falta gotas de chuva
que poderiam lavar todos os vestígios de seu passado
e libertar você do que você tinha chamado piedade ..
de que o coração .. capaz de amar, 
de jogo, 
e da interseção com a sua retirada obsceno de que a religião flácida 
a partir desse falso Tanzeel 
de deuses que tinham perdido o seu orgulho ..

5
você arrotar, mais do que costumava fazer .. 
como as barras de abençoar seus visitantes 
com recitações e dançarinos sedutores .. 

acompanhado com o DJ 
você recita suas alucinações 
e falar o seu louvor para estes corpos balançando para os versos de exílio.

6
ele não tem direito de andar no entanto 
ou a balançar no entanto ou a chorar no entanto. 

ele tem o direito de abrir a janela de sua alma,
renovar o seu ar, seu lixo, e suas lágrimas .. 

você também tendem a esquecer que você é 
um pedaço de pão

7
no dia da expulsão, eles estão nus, 
enquanto você nadar nas tubulações oxidadas de esgoto, com os pés descalços .. 

este poderia ser saudável para os pés
 mas não para terra 

profetas ter se aposentado
por isso não esperar por seu para chegar até você

e para você, 
para os monitores trazem seus relatórios diários
e obter os seus altos salários .. 

quão importante é dinheiro
para uma vida de dignidade

9
meu avô está todos os dias nu, 
sem desterro, sem criação divina .. 
Eu já foram reanimados sem um golpe piedosamente em minha imagem. 
Eu sou a experiência do inferno na terra ..

terra
é o inferno preparado para refugiados. 

10
seu sangue mudo não vai falar-se 
contanto que você se orgulha em morte
enquanto você manter anunciando -secretly- que você colocou sua alma 
nas mãos de quem não sabe muito .. 

perder a sua alma vai custar tempo, 
muito mais do que o que é preciso para acalmar 
seus olhos que têm lágrimas choradas de petróleo 


Ashraf Fayadh

* Estes poemas apareceu em coleta poesia de Fayadh Instruções W ithin que foi publicado pela sede em Beirute Dar al-Farabi, em 2008, e mais tarde proibidos de distribuição na Arábia Saudita. 


Tradução p/ português desconhecida.
Postar um comentário