a madrugada
já não me é mais doce
já não me é mais morna
já não me afaga como brisa

a madrugada
gélida
cortante

singra-me

vara-me

parte-me

deixando-me em ruínas

a madrugada já não me é contemplação
a madrugada
agora
contempla meus escombros


Wanda Monteiro
Postar um comentário

Horizontes

Pai não adianta as botas Se tiraste minhas pernas Num mundo de cotas Transformo-me em percentual Meus sonhos...