Oração


O rosto sob o véu
Dos lábios convulsos
Na voz timbrada de dor
Escorrem palavras emprestadas

Olhos que lagrimejam um prelúdio de dor

Nas mãos um terço
Uma cruz de prata empunhada contra o peito

E um silêncio feito de dúvida
Quebrado pelo frêmito de velas que velam
Um santo incapaz de milagres


Wanda Monteiro
livro: Anverso
Postar um comentário

Fábula de Arquiteto

A arquitetura como construir portas, de abrir; ou como construir o aberto; construir, não como ilhar e prender, nem ...