Tantos














Multidões com meu rosto
Com meus olhos
Com meus gestos e corpo

Perambulam na orgânica metrópole
Onde em cada desértico rosto
Me desconheço

Tantos infinitos que carrego
Tantos que me esqueço


Carlos Orfeu
Postar um comentário

O Navio Negreiro

“’Stamos em pleno mar… Doudo no espaço Brinca o luar – dourada borboleta; E as vagas após ele correm… cansam Como...