Entre a fé e a ansiedade






















A dor de um choro contido
Lágrimas internas pela alma
Sonhos sólidos agora derretidos
E o momento pede calma


O eu atônito e disperso
Esperando ser iluminado
Sair do sonho imerso
Que tem me esfacelado


A cabeça tonta dói
Sem entender o que esperar
A dúvida afronta, corrói.
Deus manda confiar


Fé pequena de mostarda
Acredita com medo de afundar
A hora que já tarda
Não posso me esgotar.


Henrique Rodrigues Soares
02/08/2011.
p>
Postar um comentário

Canção amiga

Eu preparo uma canção em que minha mãe se reconheça, todas as mães se reconheçam, e que fale como dois olhos...