Amor Adiado












Desenhou, com traço fino,
num papel de seda perfumado,
as palavras mais bonitas
dos sentimentos mais secretos
existentes em si,
como homem apaixonado.

Esmerou-se na linguagem cuidada,
usando imagens maravilhosas
e, para bem completar a mensagem,
redigiu um pequeno poema,
onde cantava hinos à vida,
por amar e ser amado!

Falou do Sol e do sal da sua sede!
Falou do mal e do mel do seu amor!
Falou de flores e de beijos mordidos!
Falou deles, como de cristais
ou como de cerejas no ramo!
Terminou com beijos e saudades,
saudades e beijos!
Dobrou o papel cuidadosamente
e, tremendo, guardou-o na gaveta,
junto aos muitos outros…
e, uma vez mais, fechou-a...


Vitor.C
Postar um comentário

Diz Mal do Amor que o Feriu Inesperadamente

Era o dia em que o sol escurecia Os raios por piedade ao seu Fator, Quando eu me vi submisso ao vivo ardor De teu...