Vísceras vagam pelas vagas
poéticas
do palco do pensamento,
humana ficção.
Simultaneamente quero,
sinto, sofro, sonho.
E então fujo
para o miolo do mundo.
Voo para além dos muros
Silenciosos das liberdades que não escolhi.
Densa, condenso.
Planto gotas de chuvas
no árido de mim
no árido cálido
deserto entreaberto
dos retornos de mim.
Penso
Enlouqueço
Renasço
Banhada de grafite
Na pele do meu papel.


Paula Beatriz Albuquerque
Postar um comentário

Canção amiga

Eu preparo uma canção em que minha mãe se reconheça, todas as mães se reconheçam, e que fale como dois olhos...