DE CARAMBAS E CARACÓIS !?



















Fui criando estrofes desde criança
Depositando perguntas numa urna
Guardando-as dentro de um cofre


Pois perguntar não ofende:
É Deus quem defende ou garante
que a minha questão não se finda?
que não vai haver desavença?
Suas chaves desvendam segredos?
As minhas são chaves de fenda


Por outro lado tem bastão que brada
que nunca tem sua razão quebrada
que briga, rege, luta, manda e também pontua


Já basta, exclamação!
Parece uma batuta!
Dê forma à curva!
Nem tudo é reto!
Nem tudo é alvo,
seu implacável!


Questão que espezinha
tem gentileza gráfica
Tataraneta do método socrático
Logo, interrogo


Fisgo da pergunta uma linha torta
Reparo na forma dos seus anzóis
Pesco uma nova muda
As minhas dúvidas
Os meus carambas e caracóis



Alan Salgueiro
Postar um comentário

Soneto XX

Tens a face de mulher pintada pelas mãos da Natureza, Senhor e dona de minha paixão; O coração gentil de mulher, mas ave...