Eu queria escrever um poema bonito


eu queria escrever um poema bonito
que faça sorrir, um poema hilário,
que nasçam pássaros na tua gargalhada
um poema simples, mas essencial
que abra os olhos para o amor,
para a ternura e o carinho
algo assim dengoso e entregue
sem confusão, mágoa ou ressentimento
algo que alimente o amor pela vida
que faça compreender
o papel da paz tanto quanto o do caos,
que diminua a pressa e te faça consciente,
que te tire do cansaço e te dê vontade
de dançar infinitamente
algo sem explicação e sem lamento
essa coisa de amar a palavra da boca,
escutar o silêncio de tudo, respeitar todo mistério,
esperar o melhor do agora, do instante, do já,
para não se prender em delírios sem fim
não querer saber demais o que não se explica
era isso que eu queria
um poema composto de absurdos,
um dos teus sorrisos
e se eu tiver uma sorte imensa
um abraço do infinito vindo de ti
porque cada pessoa é um infinito
um pedaço do delírio mais lindo
uma música, um silêncio, um oceano
e é preciso expandir


Luiza Maciel Nogueira
Postar um comentário

Coqueiral

A saudade é um batimento que rebenta assim vinte e oito vezes desde meu ombro tatuado de desastre até à rosa pendur...