Antes depois do que nunca.
Antes eles do que nós.
Do que quem dispersa, antes quem junta.
Do que à água funda,
antes aos faróis.

Antes muito do que pouco.
Antes pouco do que nada.
Do que preso, antes solto.
Do que são, antes louco.
Antes caneta do que espada.

Antes rico do que pobre.
Antes pobre do que infeliz.
Do que indigno, antes nobre.
Antes amigo do que esnobe.
Do que "farei", antes "eu fiz".

Antes à mostra do que escondido.
Antes nossos do que meus.
Antes sarado do que ferido.
Antes ferido do que superprotegido.
Do que a nós, antes ao nosso Deus.

Antes amar do que ferir.
Antes amar do que julgar.
Antes amar do que diminuir.
Antes amar do que fingir.
Antes amar, antes amar.

Antes "de nada" do que "desculpa".
Antes "desculpa" do que calar.
Do que a rendição, antes a luta.
Antes sábia do que culta.
Antes ouvir do que falar.

Antes uma jabuticaba no chão,
do que duas jacas brotando.
Antes Sol do que verão.
Antes uma sobriedade na mão
do que duas ilusões voando.


Ellen Rose







Postar um comentário

Visita

O poeta esteve aqui Disse-me que viu sorrir Meus olhos em suas mãos... Como mente este poeta Com sua...