Fenômenos pluviais
















Esperei... Esperei por ti!
Saudades...  Que saudades senti.
Saudades profundas do teu carinho
De tua presença
Tua ausência
Teu estio
Causou erosão no meu peito.


Quando chegaste pela noite
Teus toques miúdos pela terra
O cheiro de tuas carícias
Subiram pelas minhas narinas


Os meus lábios estavam cinzentos
O meu idioma estava sem palavras
Molhaste como unguentos
Os meus cortes, as minhas dores.


Trazendo esperança, trazendo cores.
Trazendo cheiro e sabores
Na tua chegada como bagagem
A poesia voltou de sua longa viagem.



Henrique Rodrigues Soares – Horas de Silêncio
19/10/2014.


Postar um comentário

Idade

Mente o tempo: a idade que tenho só se mede por infinitos. Pois eu não vivo por extenso. Apenas...