A Formosura























Somos cativos, todos nós, da formosura,
Porque a beleza é chave que abre portas;
Mas convivemos com coisas feias e tortas
Fingindo não se importar com a feiúra.


Se não podemos possuir o que é formoso
Valorizamos o feio que possuímos,
E a começar do espelho nos iludimos
Em transformar o que é feio no que é charmoso.


Mas revelamos o que em verdade pensamos
Quando os bichinhos e objetos que compramos
São escolhidos por critérios de beleza!


Negar a força da beleza é fingimento;
Ninguém escolhe feiúra ou sofrimento;
Mas é o belo que sempre nos dá tristeza...


Sergio Lopes
Postar um comentário

Coqueiral

A saudade é um batimento que rebenta assim vinte e oito vezes desde meu ombro tatuado de desastre até à rosa pendur...