Nosso mais profundo medo


















Nosso mais profundo medo
não é que sejamos inadequados.
Nosso mais profundo medo é que nós
sejamos poderosos além da conta.
É nossa luz, não nossa escuridão
que mais nos amedronta.
Nós perguntamos a nós mesmos,
quem eu sou para ser brilhante,
incrível, talentoso e fabuloso?
Realmente, quem você é para "não" ser?
Seu joguinho não serve para o mundo.
Não há iluminação em se esconder
para que as pessoas não se sintam
inseguras a sua volta.
Quando nós deixamos nossa luz brilhar
inconscientemente damos às outras pessoas
permissão para fazer o mesmo.
Quando estamos libertos dos nossos próprios medos
nossa presença automaticamente liberta os outros.


Nélson Mandela
Postar um comentário

Canção amiga

Eu preparo uma canção em que minha mãe se reconheça, todas as mães se reconheçam, e que fale como dois olhos...