Cidades Esgot(os),(adas)

Marco Zamora el arte del caos urbano

















Almas andam em rotas
de colisão com a morte
buscas remotas
de dentes de rotes


a precisão da bala, a precisão de teus olhos
sinais vermelhos fechando a via-crucis


pequenos apartamentos cheio de flores
que nascem do medo de sua solidão
flores solitárias e sombrias
resta uma trilha para sua salvação


os corpos precisam de marketing
os corpos precisam ficar cheios
roupas caras... objetos de arte
para esconder teus anseios


cidade que fede...
os esgotos são ruas, ou as ruas são esgotos?
nenhum crime se comete sem tua observação


esgotada está sua alma
esgotado está seu perdão
são como flores de inverno
plantadas no inferno
nascendo no verão.


Henrique Rodrigues Soares - A Natureza das Coisas
Postar um comentário

A Hora

A porta do tempo é opaca, mas menino a viu entreaberta. Foi espiar. “- Mãe, cada minuto é feito de sessenta borb...