Entre Gérberas e Rosas




















Nunca deixes de olhar para tua flor
com o encanto das aves retirantes
ainda que em sonho te pareça dor
a dor do olhar doído dos amantes.


A flor traz sensação de ver o amor
da gávea numerosa dos mirantes:
as flores são teus barcos ao sabor
das razões infinitas dos instantes.


Faze de ti como te cuida o artífice
que te faz renascer do apocalipse
ao plano de desconhecida esfera:


um canteiro de gérberas benditas
e os arco-íris de estradas infinitas
entre as rosas de tua primavera...


Afonso Estebanez
Postar um comentário

O canto de um bardo

Sem sabor Mastigo o meu intimo Nestes dias escuros Sem escolhas Como um pobre arrimo Para fora dos muros...