Dragão



















Mora no céu de minha boca um Grito
Em brasa e luz
Um sol de Mim
Que se guarda no verbo silenciado pela noite de uma dor

Uma noite
Uma dor
Um verbo

Mora no céu de minha boca esse sol com olhos de dragão

No claustro de meu sol
Mora um dragão contido pela dor
Na noite de um verbo silenciado

Um Claustro
Um céu
Um sol

No céu de minha boca
Mora um dragão preso nos olhos de um sol que grita
Grita!
Em brasa
Em luz
E silêncio.

Wanda Monteiro
Postar um comentário

Crer

Creio em mim. Creio em ti. Deus, onde mora? Na vontade de crer que me consente humano e ardente. No meu repouso em ti, qu...