Sacrifício Perfeito

















Mãos que foram lavadas
E corações injuriosos
Pena capital que lavrada
Em julgamentos indecorosos


Na nossa páscoa sacrossanta
Foi o perfeito cordeiro
O eficaz, o imaculado,
O derradeiro.
Que nos propôs como herdeiro
De sua herança na eternidade


Foi naquela cruz
Resolvido o nosso imbróglio
Retiraste-nos a mancha,
A vergonha e o opróbrio


Como calcular a tua dor?
Como calcular o teu amor?
Minha dívida impagável sem credor
Teu sangue nobre nosso penhor


Saraste de nossas imperfeições
Com suas chagas e suas dores
A salvação em refeições
Multiplicaste aos famintos


No teu partir do pão
Encontrei o meu perdão
No teu cálice de vinho
Encontrei o meu caminho

Aquela mesa me trouxe vida
Do teu corpo com minhas feridas
Fluiu teu sangue carmesim
Para me libertar do meu próprio fim.


Henrique Rodrigues Soares – Canibais Urbanos

Março 2016.
Postar um comentário

Crer

Creio em mim. Creio em ti. Deus, onde mora? Na vontade de crer que me consente humano e ardente. No meu repouso em ti, qu...