EU VOU PRA REDENÇÂO























Ainda que nada me sobre
que me façam o rapa no bolso
no mundo dos falsos acúmulos
ao teu lado eu volto farto
de coragem na garrafa
e mesmo depois do furto
de enfrentar outro sarrafo
tenho o meu porto seguro

E mesmo que eu me perca
seguir tua mandala
vai me puxar pra rota
Vai haver o Norte
o salmo, o bálsamo, a bússola
para me trazer de volta ao solo
E ela que me eleva a alma
vai me inspirar pra um novo salto

Se envolve dos meus braços
e me beija das mãos o dorso
com o amor mais forte
que possa existir
e me diz simplesmente:
"Eu tô aqui"
Não é qualquer discórdia
que vai nos acossar

E apesar das rasteiras
a vida nos brinda
de forma incrível
deixando a lição
Em vez me render ao que se espera
Com ela eu vou pra redenção


Alan Salgueiro
Postar um comentário

O Navio Negreiro

“’Stamos em pleno mar… Doudo no espaço Brinca o luar – dourada borboleta; E as vagas após ele correm… cansam Como...