o silêncio
signo
canto
o silêncio 
espelho
abismo
urdidura
inexorável

Carlos Orfeu
Postar um comentário