ALELUIA!



















Ele vive e Ele Reina
Aleluia!
Ele aquece e conforta
Aleluia!
Ele chega de manso
Ele bate na porta.
Aleluia!
Ele livra do mal
e desfaz o perigo
Ele vem ao teu lar
Ele fica contigo,
Aleluia!Aleluia!


Ele pega o teu pulso,
Ele espanta o teu tédio,
Ele encontra o teu mal
e oferece o remédio.
Ele faz o alicerce
e levanta a parede
Ele te refrigera
e te mitiga a sede.
Aleluia! Aleluia!


Ele te ressuscita,
Ele te faz forte,
e te livra do medo,
e te livra da morte.
Aleluia!


Ele te vê sofrendo
Ele te revigora,
e levanta o que tomba
e consola o que chora
e perdoa o que peca
e alivia o que punge
e te abraça e te beija
E te marca e te unge.
Aleluia!Aleluia!

Ele apaga o pecado
e o fardo se faz leve
e o vermelho escarlata
é mais alvo que a neve
Ele lava o vestígio
e a nódoa do teu crime
e a insônia que te esmaga
e a angústia que te oprime
e pela sua chaga
Ele enfim te redime!
Aleluia!Aleluia!


Ele meigo te envolve
afável com seu manto;
glória ao Pai, glória ao Filho
e ao Espírito Santo
Aleluia!


Ele é com uma ovelha,
Ele é como uma estrela,
a bem-aventurada
Estrela da Manhã !


Ele é o lírio dos vales,
Ele é a água da fonte,
Ele é a pedra de esquina,
a fonte sempiterna,
a que mana água pura,
água da vida eterna,
a pedra em que se assenta
a nossa segurança,
a nossa salvação
e a fundada esperança.


Ele é a Cruz do Calvário
e a coroa de espinho,
a única verdade
e o único caminho.
Aleluia! Aleluia!


Ele é a nossa alegria
e a morte suportou,
mas no terceiro dia
Ele ressuscitou.
Ó trombetas de prata,
Ecoai! Ecoai!
Ele reina em triunfo
à direita do Pai
Aleluia!


Ele habita no céu
onde vela por mim
e onde no juízo
há-de voltar enfim
Aleluia! Aleluia!


E entre vivos e mortos,
a trombeta a soar
Ele vai nos ouvir
Ele vai nos julgar
Ele vai nos medir
Ele vai nos pesar.
Aleluia!Aleluia!
Oh salvos por seu sangue
Exultai! Exultai!
Ele nos chamará
"Benditos de meu Pai".
Aleluia!Aleluia!

E estaremos com Ele
em glória e majestade
habitando no céu
por toda eternidade!
Aleluia!Aleluia!
Aleluia!Aleluia!


Gióia Júnior - Janeiro de 1980 no livro - Orações do Cotidiano
Postar um comentário