Quihica
















Aquilo que esperamos desde que nascemos
Aquilo que vislumbramos na tenra idade
Ao perder inocência nos embrutecemos
Com o medo assombroso da fatalidade



Os que vencem os anos com sacrifício
Deixando mais lágrimas do que sorrisos
Os que partiram jovens pelo oficio
De serem livres e sem compromissos



A sociedade precisa de seus heróis
A sociedade constrói os seus vilões
Quem tem olhos como faróis
Cada passageiro diferente missões.


Henrique Rodrigues Soares – O que é a Verdade?

Postar um comentário

Satélite

Fim de tarde. No céu plúmbeo A Lua baça Paira Muito cosmograficamente Satélite. Desmetaforizada, Desmitificada, Despojada do ...