DEPOIS DA TERCEIRA SIRENE










O argumento da trama
ás vezes é mera desculpa
pr'aquela cantada fajuta
da peça se que encaixa no quebra-cabeça

Roteiro de histórias secretas
que aos poucos me revela
quando minha voz resvala na tua boca
quando uma hora é conversa pouca

Hoje a esquete perde fácil pro teu perfume
e a trilha sonora como um "Claire de Lune"
preenche os vazios e as falhas do texto

Depois da terceira sirene
logo na entrada do palco
quis beijo de cine em pleno teatro

Quis me introduzir naquele pouco espaço
Quis perder a hora e os Gols do Fantástico
Quis o breve encaixe entre os teus dedos
e deixar a conta pra bem mais adiante

Quis cada detalhe das histórias longas
e saber do enredo direto da fonte
e extrair as cores dos teus lábios
pra redesenhar cenários
e ganhar o teu aplauso
antes do último ato


Alan Salgueiro




Postar um comentário

Marinha

Teu corpo é mar com frêmitos frescos de ondas e fosforescência de espumas. Teu corpo é profundidade equórea, fil...