Templário

















Amanhã!  Quero andar sobre as águas.
Quero descansar no tempo sem idades
Quero com minha funda vencer o gigante
Quero ser depois do que foi antes
Sem dispor com minha mocidade


Aonde vão meus pensamentos
Por longínquas ilhas de céu azul
Com pássaros incansáveis
Quero o suave amor superno
De tanto, tanto e eterno


Que não quero ser alcançado
Por mortais problemas humanos
Quero a Luz Divina que oriente
Os meus passos e planos
Por todo sempre e sempre


Quero mais respostas que perguntas
Com a ternura dos que me amam
Quero o espelho dos que me gostam
E seus tatos, e insolúveis apreços
Valiosos, inestimáveis e sem preço


Amanhã! Serei eu
E serei por toda vida
Por mais que o tempo como uma bebida
Mude o seu sabor.




Henrique Rodrigues Soares – Canibais Urbanos
Postar um comentário

Nós - IV

Quando as folhas caírem nos caminhos, ao sentimentalismo do sol poente, nós dois iremos vagarosamente, de braços dados, como ...