Humanidade






















Temos satélites, e estamos sem órbita
Temos celulares, e estamos incomunicáveis
Temos conectividade, e não temos afetividade
Dê-me um abraço pelo seu Bluetooth


Temos solidão, mas queremos o silêncio
Temos confusão, mas queremos a realidade
Temos os pecados e sua urbanidade
Temos o consumo da legitimidade


Estamos deprimidos e temos comprimidos
Pelos quartos escuros sem janelas
Com sonhos reduzidos somos oprimidos
Pelos teus ônibus e suas sequelas


Algemados, adoecidos, dominados e entorpecidos
Por contas, intensidades e novelas
Julgados, enfurecidos, amargos e entristecidos
Por contratos, atos e suas celas.


Henrique Rodrigues Soares – Canibais Urbanos
Postar um comentário