Conflito





















Tenho medo das águas do destino,
a invadirem o que penso e faço,
numa linha de infinda
contradição.


Eu sou assim:
quero fugir, mas chamo,
quero ficar mas me assusta
não ter em mim nada seguro
e certo.


Nunca receio a alegria,
para qual todos os milagres
são normais.


Mas quando tarda quem amo,
meu coração fica exposto
e aberto.


E mesmo assim eu persisto,
e ainda assim espero
ainda, como criança sozinha
atrás do muro.


Lya Luft
Postar um comentário

Canção amiga

Eu preparo uma canção em que minha mãe se reconheça, todas as mães se reconheçam, e que fale como dois olhos...