Leito


















Pousa neste leito palavras inúteis e nunca ditas.
Pousa neste leito espíritos cansados e desinteressados.

Este leito é testemunha de discórdias e paixão desmoronada.
De mágoas ancestres
De atritos infatigáveis
e de lágrimas que não dão conta dos lenços e lençóis.

Marcamos um encontro que nunca fomos.
Sonhamos uma vida que nunca teremos.
Invejamos as estrelas que nunca serão nossas.

Me arrependi tarde demais.

O vento também nunca trouxe as promessas sussurradas...

Fatima Reis
Postar um comentário

Canto III

O dorso que se curva elegante desenha na memória a leve dança da bailarina grácil, celebrant...