o dia come o escuro
estende solferinos
lençóis acesos

trinos na mesa
o sol no pão
simetria clara

fora do núcleo
habitual o azul
deita no terno

de musgos do
muro: fogo
em demasia

Carlos Orfeu


Postar um comentário

Canto III

O dorso que se curva elegante desenha na memória a leve dança da bailarina grácil, celebrant...