Síndromes

















Coloco meu sonho
Ainda onde ponho
O meu braço.


Onde está meu tamanho
Onde vaga meu rebanho
Este é o laço.


Ainda saio, me acanho
Com palavras, me apanho
Em visíveis fracassos.


Se a mim torno estranho
Obtuso, e tacanho
A caligrafia do meu traço.


No tímido assanho
Um riso, me exponho
Ao sutil embaraço.



Henrique Rodrigues Soares – Canibais Urbanos

Março – 2017.
Postar um comentário

Idade

Mente o tempo: a idade que tenho só se mede por infinitos. Pois eu não vivo por extenso. Apenas...