História da América II















E Colombo como bom cristão
Descobriu nas terras para lá do Atlântico
O desconhecido e populoso Jardim do Éden
Ao primeiro contato a contaminação
E os descobertos descobriram que estavam nus
E foram catequizados no bem e para o mal.


A serpente astuta que veio do mar
Era européia gente e podia andar
Semeando a morte com todos os seus vírus e bactérias
Trazendo o seu conhecimento e suas matérias.


Pouco satisfeito o bom cortes rei de Espanha
Enviou Hernan Cortez e sua manha
De conquistar com a palavra e os canhões
Aos astecas com profecias sobre seus corações.


Para salvá-los e ensiná-los a vida
Cortez cortou árvores, cortou feridas,
Cortou braços, pernas e memórias,
Cortou credos, almas e histórias.


Chegou também o benfeitor Francisco Pizarro
Que uniu todo o Império Inca
Numa espanhola colônia rica
Dando pedigree a um povo pobre e bizarro.
Com o intento sempre de melhorar
Aos ameríndios foram oferecidos
A encomienda e a mita
Em troca de se cristianizar.


Agora somos de Deus e civilizados
Chapetones, criollos e cabildos
Agora enxergamos os nossos pecados
Apresentaram-nos o inferno descabido.


Como já dizia o herói famigerado
Dos despossuídos, Chapolin Colorado.
“E agora? Quem irá nos salvar?”
“Siga-me os bons!” Ou quem puder escapar!


Henrique Rodrigues Soares – Canibais Urbanos

Janeiro – 2017.
Postar um comentário

Apelo

Porque não vens agora, que te quero E adias esta urgência? Prometes-me o futuro e eu desespero O futuro é o d...