TÁ CARO





















Tá caro
Tocaram a baderna
Tiraram do meu bolso
Agora a oferta
é tudo pela metade
(do dobro)

Tá cara a batata
a carga tributária
e a tarifa e a farofa
e o pouco que sobra
se esvai na conta
de energia elétrica

E o combustível
E o dólar instável
E até o x-tudo
foi lá pro alto
como os juros
e as taxas inflacionárias

Um susto de alto custo
o leite, a carne e a arte
o óleo, o filho, o alho
e o velho monopólio

Parti do pressuposto
que o preço posto
seria justo e não o olho
(da cara)

Tacaram
um ovo
na fachada
do mercado
Fechado!
Tá caro!


Alan Salgueiro
Postar um comentário

Soneto XX

Tens a face de mulher pintada pelas mãos da Natureza, Senhor e dona de minha paixão; O coração gentil de mulher, mas ave...