O dia inacabado


















Como todos os homens, sou inacabado.
Jamais termino de ser.
Após a noite breve um longo amanhecer
me detém no umbral do dia.
Perco o que ganho no sonho e no desejo
quando a mim mesmo me acrescento.
Toda vez que me somo, subtraio-me,
uma porção levada pelo vento.
Incompleto no dia inacabado,
livre de ser ainda como e quando,
sigo a marcha das plantas e das estrelas.
E o que me falta e sobra é o meu contentamento.


Lêdo Ivo (Vaso Roto, Barcelona), em "Calima", 2011.
Postar um comentário

A instabilidade das cousas do mundo

Nasce o sol e não dura mais que um dia. Depois da luz, se segue a noite escura, Em tristes somb...