A Quinta Rosa

















Senhor da minha vida e minha morte,
estrêla dos segredos da manhã...
Por onde a rosa que me alumbra a sorte?
Por onde a rosa amiga, amante, irmã?


Nos campos de Saron... Ao sul? Ao norte?
No altar que abriga o culto à fé cristã?
Talvez, onde o pajé seu canto aporte...
Ou há de estar nos céus de Aldebarán?


Na quinta rosa, onde tenho ascendência,
e sou mestra perfeita em plena essência...
A vida exulta em mim todo o fulgor.


A quinta rosa... É tudo o que eu anseio,
não mais falsa esperança ou devaneio...
Enfim, ser conquistada pelo amor.


Patricia Neme
Postar um comentário

Declaração de bens de família

Cadeiras e sofás, consolo e jarra, camas e bules, redes e bacias, a caixa de charão, o guard...