À Nona Rosa de Sarom




















Toda a razão, solene, à fé se rende
e de joelhos louva ao Criador,
por contemplar a Graça que resplende
no despertar de pétalas em flor.


Somente Deus, em quem tudo transcende,
sabe tecer a vida em forma e cor.
E transformá-la em rosa que se acende
ante o sacrário de um imenso amor.


Os sinos dobram... O silêncio é tanto...
A prece, a entrega... Alma em acalanto...
Misericórdia, plena, me conduz.


Porque sou rosa, abro-me em ternura,
acolho em mim tua dor e desventura
e em meu Sarom, hei-de entregar-te à Luz!


Patrícia Neme
Postar um comentário

Idade

Mente o tempo: a idade que tenho só se mede por infinitos. Pois eu não vivo por extenso. Apenas...