ME EMPRESTA TEU OMBRO
















Me empresta teu ombro
pra eu lembrar que o mundo
ainda vale a pena

Me leva pro teu universo
onde tudo é mais simples e repleto
daquelas famosas perguntas
que nos deixam de saia justa

Deixa eu repousar o peso
Clareia com o sorriso essa neblina
E como complica essa gente crescida
que não se permite sonhar acordada

No ouvido me conta um segredo
e brinca de esconder teus medos
Faz do meu colo um porto seguro
no pulo que nos encoraja

Me diz algumas coisas
que me tiram o chão
Parece impossível dizer não
pra qualquer coisa que tu peças

Eu já esgotado, você sem cansaço
Me inspira com energia após cada tombo
Só não se esqueça nunca
de emprestar teu ombro


Alan Salgueiro
Postar um comentário

Coqueiral

A saudade é um batimento que rebenta assim vinte e oito vezes desde meu ombro tatuado de desastre até à rosa pendur...